O amadorismo da Portuguesa

Não tinha outro jeito, o campeonato brasileiro deste ano só poderia acabar em tribunais e pelos motivos corretos, explico.

Na trigésima sexta rodada, Portuguesa e Bahia ameaçados de rebaixamento, jogam na Fonte Nova com vitória do Bahia por um a zero. A Portuguesa tinha a essa altura quarenta e cinco pontos na classificação. Depois do fim da partida, Héverton, da Portuguesa, foi expulso por ofender árbritro Ricardo Marques. Abaixo a transcrição de parte da súmula:

” Expulsei após o termino da partida, com cartão vermelho direto, o atleta número 18 da Associação Portuguesa de Desportos, Sr. Héverton Durães Coutinho Alves, por caminhar em minha direção proferindo as seguintes palavras: “Porra, caralho, você é um merda, está com medo dos caras! Só isso de acréscimo? ”

Na trigésima sétima e penúltima rodada, a Portuguesa venceu a Ponte Preta por dois a zero, chegando a quarenta e oito pontos. Héverton não jogou pois cumpriu a suspensão automática do cartão vermelho do jogo anterior.

O julgamento pela sua expulsão contra o Bahia foi na sexta feira antes da trigésima oitava e última rodada do campeonato ( disputada no domingo ). Héverton foi julgado e condenado ( dois jogos ) conforme o artigo 258 do código brasileiro disciplinar do futebol, cuja pena é:

” Suspensão de uma a seis partidas, provas ou equivalentes, se praticada por atleta, mesmo se suplente, treinador, médico ou membro da comissão técnica, e suspensão pelo prazo de quinze a cento e oitenta dias, se praticada por qualquer outra pessoa natural submetida a este Código.  “

A Portuguesa alega não ter sido notificada por seu advogado  sobre o resultado do julgamento e mesmo assim Héverton assinou a súmula, ficou no banco, entrou em campo e jogou no empate sem gols contra o Grêmio. A punição pela utilização de jogadores suspensos ( assinando súmula ) consiste na perda dos pontos do jogo mais um ponto, no caso quatro pontos, a Portuguesa perdeu os três do jogo mais um, ficando com quarenta e quatro e rebaixada, pois o Fluminense venceu o Bahia  ficando com 46 pontos.

Entendido isso? Um jogador suspenso assinou a súmula e entrou em campo, o clube sequer alega que ele reunia condições legais para jogar, alega que não foi avisado pelo seu representante sobre o resultado do julgamento.

A situação financeira da Portuguesa é gravíssima, uma queda de divisão acarreta na pior das hipóteses em uma perda de receita que o clube simplesmente não pode abrir mão agora. A questão não é só desportiva, é financeira. Por que então correr esse risco? Não sabendo do resultado do julgamento, por que colocar o sujeito pra jogar? Sabendo exatamente o que aconteceria se ele jogasse, é incompreensível.

Tudo isso posto, quem em sã consciência comete um erro desse tamanho? Sabendo que se Héverton assinasse a súmula haveria uma perda de pontos proporcional com a situação do clube na tabela. Do mesmo jeito ele assinou a súmula e jogou. A direção da Portuguesa se deu um tiro no peito, correu um risco que um clube com 48 pontos na tabela e quase falido não pode se dar ao luxo de correr, esse ato foi de um amadorismo que nem digno de pena é.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s